Foto: Banco de imagens

Os números oficiais da safra de cana-de-açúcar encerrada em março último indicam quebra de 1,3% em relação à temporada anterior.

Segundo levantamento da Conab, empresa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), divulgado na terça-feira (23/04), a moagem de cana pelas usinas do País na safra 2018/19 chegou a 625,2 milhões de toneladas, queda de 1,3% ante 633,26 milhões de toneladas da safra 2017/18.

Oficialmente, a safra de cana no Centro-Sul vai de abril de um ano a março do outro. Na região Norte-Nordeste, a temporada vai de agosto de um ano a fevereiro do próximo ano.

Entidades representativas do setor sucroenergético como a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) também destacam quebra na produção da 18/19 ante a temporada anterior.

Mas no caso da UNICA, levantamento de moagem é nos estados da região Centro-Sul do País. Nesse caso, o desempenho foi mais negativo: quebra de 3,90%.

Conforme a entidade, a moagem no Centro-Sul ficou em 573,072 milhões de toneladas de cana, enquanto na temporada 17/18 foram processadas 596,3 milhões de toneladas.

Números mais otimistas

Os números da Conab para o Centro-Sul são um pouco mais otimistas.

Conforme a empresa do Ministério da Agricultura, as usinas do Centro-Sul moeram 575,151 milhões de toneladas.

Esse volume de cana processada representa, segundo a Conab, quebra de 2,3% ante a safra 17/18, quando foram moídas 588,6 milhões.

Em que pese a quebra na moagem de cana, a produção de etanol foi o destaque da safra 18/19.

Fabricação 23,3% maior de etanol

A fabricação de biocombustível alcançou 33,58 bilhões de litros, destaca a Conab.

Esse volume representa incremento de 23,3% ou 6,3 bilhões de litros em relação ao exercício passado.

Divididos, os 33,58 bilhões ficam assim: a produção de hidratado pelas usinas do País alcançou 22,99 bilhões de litros, alta de 41,5% ou 6,7 bilhões de litros em comparação com o ciclo anterior.

Já a produção de anidro, utilizado na mistura com a gasolina, apresentou redução de 3,7%, alcançando 10,59 bilhões de litros.