Foto: Arquivo

Quão grande é o interesse das empresas estrangeiras no Pré-Sal brasileiro? Os leilões passados nos dão a resposta: 68% das potenciais reservas oferecidas nos 5 leilões de partilha foram adquiridos por empresas estrangeiras até então. A Petrobras, dona natural das áreas, ficou com os outros 32%.

Marcelo Gauto, autor do texto

O grande interesse tem seus motivos justificados pelo baixo risco exploratório (sabe-se que tem muito óleo lá) e pela já comprovada alta produtividade dos poços.

Adicionalmente, o Brasil não está envolvido, nem tem histórico, em conflitos bélicos que possam dificultar a exploração das áreas, diferente do Oriente Médio ou países da África, detentores de grandes potenciais reservas, mas envoltos em tensão geopolítica contínua.

Essa soma de fatores faz do pré-sal a estrela do momento.

Os próximos leilões de partilha já estão planejados, bem como aquele que talvez seja o mais esperado de todos, o leilão de excedentes da Cessão Onerosa.

A área de Búzios, por exemplo, já conta com sistemas de produção da Petrobras em pleno funcionamento, ou seja, a empresa ou consórcio irá adquirir a fatia excedente de uma área que já está gerando receitas, algo fenomenal que deverá atrair todos os grandes players do segmento.

Esse conteúdo é proprietário da Reed Exhibitions Alcântara Machado. Produzido pelo Químico Industrial, especialista em Petróleo, Gás e Energia, Marcelo Gauto.