eólicas offshore
Fazenda eólica offshore Foto: Equinor | Divulgação

A matriz energética brasileira é considerada uma das mais renováveis e diversificadas do mundo industrializado, consequência da própria pluralidade de recursos hídricos, eólicos, solares, agroindustriais e fósseis que existem no país e da recente política de apoio à expansão dos biocombustíveis.

Com a assinatura do Acordo de Paris, o Brasil se comprometeu em aumentar a participação de bioenergia sustentável e reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 2030, criando um movimento de descarbonização da matriz nacional.

É diante deste cenário em que estratégias para economias de baixo carbono ganham espaço no debate sobre sustentabilidade, que as operadoras e companhias de extração & produção de petróleo e gás iniciaram a busca por novas fontes de receita e encontraram a oportunidade de investir em energia renovável.

A Equinor é uma dessas empresas, apoiadora do Acordo de Paris, a companhia norueguesa viu no avanço tecnológico a condição para se reposicionar como uma empresa de energia e agregar aos seus planos de negócio a participação na transição energética global.

No Brasil, a antiga Statoil opera uma usina solar no Ceará desde novembro de 2018 e abastece mais de 170 mil famílias. Recentemente, executivos da empresa declararam que o país possui um papel estratégico nos planos da companhia e por isso deve investir US$ 15 bilhões até 2030, incluindo em empreendimentos eólicos offshore em parceria com a Petrobras.

Atenta à perspectiva de que o petróleo não será o único protagonista na matriz energética, a Petrobrás anunciou no início deste ano que aplicaria cerca de US$ 400 milhões para o desenvolvimento de projetos em parceria com outras petroleiras para a geração eólica, solar e biomassa.

Para o sucesso dessa empreitada, o investimento em tecnologia é fundamental nas iniciativas de expansão e diversificação do potencial energético brasileiro, e a Brasil Offshore promove a ideia de que fontes fósseis e renováveis se complementam para alavancar a aptidão do mercado em inovar e gerar novos negócios.

O evento acontece de 25 a 28 de junho em Macaé, Rio de Janeiro, e está com o credenciamento disponível gratuitamente para profissionais da indústria de óleo & gás e energia. Aproveite e garanta sua participação!