A oferta de 15 blocos exploratórios no setor SC-AR4, em águas rasas da Bacia de Campos, pode atrair o interesse de petroleiras independentes inscritas na oferta permanente. Os blocos estão próximos dos campos de Polvo, operado pela PetroRio, e Peregrino, operado pela Equinor, que não está inscrita no leilão. 

Apesar de ter seu foco na produção e não em ativos exploratórias, a PetroRio pode ter interesse em buscar upside para o projeto de Polvo e por isso é vista como forte candidata para participar da concorrência. 

A PetroRio anunciou em fevereiro uma nova campanha em 2019 para a perfuração de quatro  poços no projeto de revitalização do campo de Polvo, em águas rasas da Bacia de Campos. A empresa mapeou 22 potenciais prospectos na região do campo offshore e se todas as demais 18 perfurações forem realizadas deve investir algo em torno de R$ 60 milhões no projeto.  Cada campanha de perfuração deve durar cerca de dois meses.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site EPBR com a matéria completa.