FIEE conta com o apoio da ABRACEEL para promover a indústria do futuro

ABRACEEL é uma das entidades apoiadoras da 30ª FIEE, o único evento do país a representar a convergência da manufatura integrada para a indústria do futuro. Em 2019, a feira se reposiciona como FIEE Smart Future, unindo todos os elos da cadeia industrial onde a energia é fundamental!

Por acreditar no diálogo como a melhor maneira de estabelecer uma estratégia de desenvolvimento sustentável ao setor, a ABRACEEL – Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia – apoia a FIEE como sendo “um dos melhores espaços onde esse encontro pode ser estabelecido”.

Para discutir sobre os desafios do setor e o futuro do mercado energético nacional, a FIEE entrevistou o presidente da ABRACEEL, Reginaldo Medeiros. Confira!

FIEE: Na visão da entidade, como o evento pode contribuir para o fortalecimento do setor?

Reginaldo Medeiros: Ao aliar o debate institucional às últimas tendências tecnológicas, a FIEE é fundamental para tornar evidente como a inovação é um caminho inexorável para o desenvolvimento do setor elétrico. Nesse sentido, para nós da ABRACEEL, é um fórum importante para demonstrar como a ampliação da desregulamentação no segmento pode significar mais competitividade para o setor produtivo brasileiro e mais oportunidades de novos produtos energéticos mais eficientes, inteligentes e baratos para todos os cidadãos.

F: Para a ABRACEEL, quais são os principais desafios do setor no biênio 2018-2019?

R.M: O Brasil precisa colocar em prática um novo modelo comercial no setor elétrico voltado para as novas tecnologias de produção e uso da eletricidade, as quais são mais rapidamente acessíveis ao setor produtivo e residências com a abertura do mercado à competição. A desregulamentação do setor foi amplamente discutida na Contribuição Pública MME nº 033 que o governo pretende transformar em projeto de lei. As nossas ideias sobre o futuro do setor estão expressas na nossa contribuição, que em síntese poderia ser assim descrita: implantação acelerada da competição no varejo, formação de preço pelos agentes, investimentos privados em fontes renováveis e distribuídas e descentralização tendo o consumidor/cidadão uma participação ativa nas decisões de produção e uso da energia.

F: Qual deve ser o foco do investimento para que o mercado energético se desenvolva fortemente até 2019?

R.M: O governo deve criar condições para que o setor privado consiga ser o principal investidor do setor, com mecanismos de financiamento compatíveis com os mercados internacionais e uma governança que assegure a oferta de energia de fontes limpas a preços competitivos.

F: Como a reforma do Setor Elétrico Brasileiro (SEB) pode contribuir para o desenvolvimento sustentável e econômico do país?

R.M: A oferta de energia limpa a preços competitivos é a condição primeira para o crescimento orgânico e continuo da economia brasileira.

A 30ª edição da FIEE acontece de 23 a 26 de julho de 2019 no São Paulo Expo e se consolida como o maior polo gerador de negócios em elétrica, eletrônica, energia e automação da América Latina. Continue acompanhando as novidades da FIEE através do Canal de Notícias e Facebook.

Saiba mais no site http://www.fiee.com.br/

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: Izabella Mota