Pesquisa e inovação em O&G geram mercado de R$ 2 bilhões por ano
Foto: Equinor/Divulgação

Valor deverá crescer com aportes de empresas entrantes no segmento

Os investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) devem ganhar força no segmento de óleo e gás (O&G) do Brasil.

Em primeiro lugar, os aportes em PD&I tendem a avançar porque as empresas de O&G precisam alcançar ganhos de produtividade com custos menores.

Por sua vez, esses objetivos devem ser reforçados na retomada econômica, pós pandemia da covid-19.

Além disso, tais investimentos estão garantidos nos contratos de concessão das empresas do segmento. Eles preveem destinação de 1% da receita bruta de produção para PD&I.

A regulação cabe a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que aprovou em agosto de 2019 revisão do regulamento da chamada Cláusula de PD&I.

Clique aqui para saber mais sobre investimentos em PD&I

Em síntese, trata-se de um mercado estimulante.

“O montante gerado pela regra da ANP é gigante, em torno de R$ 2 bilhões por ano”, destacou Leandro Arceu, vice-presidente de Engenharia da Aker Solutions, para o Energia Que Fala Com Você.

Ele já havia divulgado a projeção financeira webinar sobre PD&I realizada em 09 de junho pela Firjan.

Não para por aí.

“Além disso, há novos entrantes no mercado, fruto de recentes leilões e da venda de campos maduros da Petrobras”, afirmou Arceu no evento online.

Quando investiram em pesquisa e inovação

Levantamento da ANP destaca que 18 empresas petrolíferas investiram em PD&I ao longo de 2019.

São empresas que, conforme a Agência, possuem participação nos campos produtores de petróleo e gás natural que, em algum período, geraram obrigações de investimentos em pesquisa e inovação.

Por sua vez, essas empresas totalizaram aportes da ordem de R$ 1,8 bilhão em 2019.

Esse montante, conforme a ANP, foi aplicado pelas seguintes empresas: Petrobras, Shell, Total, CNODC, CNOOC, Enauta, Repsol-Sinopec, Petrogal, Brasoil, Geopark, QPI, Sinochem, Petrorio White Shark, Petrorio Jaguar, PetroRio, Equinor e Petrogal.

Ainda segundo o levantamento da Agência, a Petrobras lidera nesses investimentos.

Desde essa obrigação de aportes em PD&I foi implantada em 1998, a empresa foi responsável por 88,67% dos recursos financeiros gerados.

Entretanto, a participação da Petrobras nesse mercado caiu em 2019. Em seu levantamento, a ANP destaca que a empresa representou arredondados 75% dos aportes em PD&I realizados no ano passado.

Contatos com o autor deste texto: delcymack@gmail.com

Leia também:

Óleo com baixo teor de enxofre turbina exportações da Petrobras

Preços do petróleo: como ficarão?