Tecnologia e o agronegócio brasileiro há muito andam de mãos dadas. As novidades para setores do agro como o sucroenergético são lançadas em ritmo acelerado, mesmo neste período de novo coronavírus.
Crédito: Proagrica/Divulgação

“Rastreabilidade é a tradução do ganha-ganha”, afirma Flavio Barros

Tecnologia e o agronegócio brasileiro há muito andam de mãos dadas. As novidades para setores do agro como o sucroenergético são lançadas em ritmo acelerado, mesmo neste período de novo coronavírus.

Mas onde e como as soluções de tecnologia podem potencializar ainda mais o agronegócio como um todo?

Flavio Barros, comercial LATAM da Proagrica, responde à pergunta nesta entrevista para o Energia Que Fala Com Você. Ele também faz avaliações precisas sobre o universo de soluções tecnológicas, que são expertise da Proagrica.

O agronegócio responde por 30% do PIB brasileiro, mantém a balança comercial do país no azul mesmo nos meses de pandemia da covid-19. Mas é possível crescer mais em produtos decorrentes de inovações tecnológicas? 

Flavio Barros – A tecnologia no campo é uma realidade. Cada vez mais o campo será mais e mais digital. Os processos e fluxos de informações já experimentaram uma profunda mudança recentemente; trazendo para o campo rapidez na tomada de decisões,

com análises assertivas através do mapeamento de todo processo, muitas vezes em tempo real, economia de recursos com menor desperdício e uma melhor relação ambiental.

A tecnologia não se restringe ao campo e está integrada com diversas demandas da indústria, consumidores e sociedade civil global que exigem transparência de toda a cadeia produtiva e pressiona por melhores práticas ambientais e segurança.

Quais as estratégias para essa integração?

Flavio Barros – A rastreabilidade é a tradução do ganha-ganha: melhores práticas, melhores produtos, maior confiança e segurança, reconhecimento das melhores marcas e empresas.

Não obstante o avanço alcançado da tecnologia no campo, há um caminho enorme a ser percorrido.

Como assim?

Flavio Barros – Os grandes produtores lideram essa corrida e influenciam os demais na sua adoção. Existem muitos fatores a serem considerados, porém o maior gargalo está a difusão da internet no campo sem o qual diversas soluções não funcionam.

A cada dia a tecnologia está inovando e se aprimorando, trazendo soluções modernas que elevam o nível de eficiência no campo apoiando cada vez todos os integrantes do mundo agro em diversos níveis.

Muitas empresas do agro investiram em soluções próprias de informática, como softwares desenvolvidos para suas próprias atividades. Esse modelo de produto ainda é indicado? Ou o mercado já oferece softwares adequados para qualquer tipo de empresa do agro?

Flavio Barros – Certamente as empresas especializadas como a Proagrica hoje são uma realidade, o que não invalida o desenvolvimento de projetos específicos para clientes de acordo com as mais diversas dores/demandas existentes.

Hoje a Proagrica, por exemplo, tem em seu portfólio diversos produtos agronômicos de prateleiras e cases globais de soluções desenvolvidas exclusivamente para os maiores players globais do agronegócio, agregando toda experiência adquirida nos quase 30 anos de mercado.

A indústria de software hoje para o mercado Agro é robusta, ágil e capaz de entregar respostas assertivas no tempo adequado para os problemas apresentados.

O mais interessante na pergunta é a decisão de desenvolver softwares “in house” ou contratar uma empresa especializada para desenvolvê-lo.

E o que é melhor?

Flavio Barros – Acredito que toda a complexidade intrínseca requerida hoje para o desenvolvimento de ferramentas e soluções adequadas e sua manutenção não deixam margem para

a decisão pela contratação de empresas especializadas como a Proagrica.

Com essa opção, a empresa permanece focada na sua expertise, onde ela sabe ganhar dinheiro, economiza orçamento alocando uma quantidade de recursos menores para o desenvolvimento da solução além de permanentemente estar atualizada com o desenvolvimento contínuo da solução.

O que há de novidade tecnológica para fortalecer os vários setores do agronegócio?

Flavio Barros – Uma avalanche de novidades é lançada a cada dia e se propõe a solucionar determinadas dores específicas do agro. Dentro desse aspecto o caminho é ter soluções cada vez mais robustas e integradas com as diversas soluções existentes.

Um dos maiores gargalos das empresas e da indústria hoje é ter silos de dados desconexos que não geram valor para a tomada eficiente e ágil de decisões, tornando o processo ineficiente.

A Proagrica tem em seu DNA a integração de soluções e de dados desde sua origem quando esse assunto ainda não estava na ordem do dia.

A ferramenta de integração da Proagrica é um sucesso há anos, integrando silos de dados, softwares e soluções diversas, extraindo valor de dados até então desconexos, entregando eficiência em todo o processo.

Como é espalhado pelo território nacional, o agro se ressente, muitas vezes, pela falta de conexão. Como fazer diante para viabilizar o uso de tecnologias? Soluções remotas são uma alternativa?

Flavio Barros – Dependendo da operação, soluções remotas têm uma boa resposta, porém cada vez mais a internet é uma pré-condição.

As soluções agronômicas da Proagrica funcionam de forma híbrida, funcionando off-line em situações sem sinal de internet, fazendo a sincronização quando há sinal.

Qual o foco da Proagrica no agro?

Flavio Barros – No começo de 2018 a SST Software Inc. foi adquirida pela Proagrica, subsidiária integral do grupo britânico Relx, tornando-se uma das maiores empresas independentes em nível global que fornece soluções agronômicas digitais no setor, tanto para clientes finais – consultores/produtores – como terceirizada de multinacionais, onde desenvolvemos projetos específicos com as marcas próprias dos nossos clientes. 

A Proagrica hoje é composta por cinco empresas de várias nacionalidades, dentre as quais a SST.

Fique à vontade para comentar mais sobre a empresa

Flavio Barros – Diante disso, novos produtos estão por vir e os existentes ganharam maior velocidade de desenvolvimento e novas funcionalidades, tais como imagens de satélites NDVI incorporadas ao app Sirrus e o Sirrus.ag – versão web do app Sirrus.

Nossa plataforma é integrada e incentivamos a integração com diversas empresas e sistemas que fazem parte do universo agro, como por exemplo laboratórios e controladores (FieldView, MyJohnDeere entre outros), além de termos soluções especificas de integração.