Megaleilão de transmissão deve atrair investimentos de R$ 7,4 bilhões

0
439
Torres de transmissão de energia elétrica vistas em dia de céu acinzentado, em referência ao megaleilão de transmissão

Quase dois mil quilômetros de novas linhas de transmissão, mais de 6,4 mil megavolt-ampères (MVA) em capacidade de transformação, 15,4 mil empregos diretos e R$ 7,4 bilhões em investimentos. Estes expressivos números integram o megaleilão de transmissão marcado para 17 de dezembro próximo.

A confirmação do certame ocorreu no começo do mês com a aprovação do edital do certame, que foi suspenso anteriormente por conta da pandemia de covid-19.

Por sua vez, a realização do megaleilão turbina as várias pontas do universo de energia elétrica: seja de gigantes da área de geração, transmissão e distribuição até a cadeia de fornecedores de bens e serviços. Isso porque a nova estrutura a ser implantada amplia o potencial de oferta de energia em sintonia com as previsões de retomada econômica do país.

“É a contribuição do setor elétrico brasileiro para a agenda do Brasil sair da crise”, declarou André Pepitone, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em relato da entidade.

Em maio, Energia Que Fala Com Você tinha divulgado a expectativa de o megaleilão ser promovido ainda neste ano. Clique aqui para saber mais.

Agora, com a confirmação, o mercado de energia elétrica volta suas baterias para o evento, marcado para daqui menos de quatro meses.

Leilão em detalhes

Denominado oficialmente de Leilão de Transmissão 01/2020, o certame será realizado em 17/12 na sede da B3, a Bolsa de Valores de São Paulo.

Composto de 11 lotes, o evento contratará 1,958 mil km de novas de linhas de transmissão. É um montante de peso: representa pouco mais de 1% de toda a malha de linhas do país, com atuais 144 mil km. Nove estados compreendem os 11 lotes: Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Por sua vez, o maior número de licitações contempla Rio Grande do Sul e São Paulo. Conforme o edital, os prazos de conclusão das obras variam de 42 a 60 meses.

Por fim, um detalhe: o edital está agora sob verificação do Tribunal de Contas da União. E, se houver alterações, o texto será novamente apreciado pela diretoria colegiada a Aneel em novembro.

Entretanto, a expectativa é de aval da instituição até porque o texto do edital considerou 500 sugestões da sociedade. Essas foram obtidas por meio da Consulta Pública 46/2019, realizada em duas fases: entre 20/12/19 a 03/02/20, com 18 participantes, em de 14/05 a 29/07 com 29 participantes.

“Otimismo entre os agentes do mercado”

A pedidos do Energia Que Fala Com Você, a pesquisadora da FGV Energia Gláucia Fernandes faz uma avaliação sobre o leilão. Confira:

“O megaleilão de transmissão de energia elétrica, que foi postergado diante a pandemia do novo coronavírus, está com nova data prevista para dezembro deste ano.

A notícia de realizar o Leilão de Transmissão nº 1/2020 ainda neste ano gerou otimismo entre os agentes do mercado de energia elétrica devido a possibilidade de manter o ciclo de investimento do setor elétrico, mesmo em um cenário de redução de demanda de energia.

O governo está acenando em favor do setor energético. A realização do megaleilão de transmissão neste ano sinaliza um planejamento estruturado do setor de energia elétrica para uma provável retomada da economia pós pandemia, por meio de investimentos em infraestrutura, com geração de emprego e renda.

O setor elétrico está se preparando para sair dessa crise como um setor mais forte, confiável e com um sistema de transmissão mais robusto e que propiciará desenvolvimento ao nosso país.”