Indústria confirma otimismo com a economia e planeja crescimento ainda neste ano

0
547

As empresas do setor industrial reforçam o otimismo com a economia brasileira. Essa avaliação é confirmada pelos principais indicadores econômicos de referência, compilados aqui pelo Energia Que Fala Com Você.

Em resumo, é possível destacar que o setor industrial contempla positivamente o Brasil de agosto e de setembro, períodos avaliados pelos levantamentos. Além disso, projeta retomada para os próximos meses, seguida de produções crescentes seguidas de contratação imediata de trabalhadores.

Por sua vez, são três os indicadores de referência, lançados pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O mais recente deles é o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico, de acordo com dados da CNI agregados pela Abinee.

Ele atingiu 63,1 pontos no mês de setembro de 2020, 4,9 pontos acima do verificado em agosto deste ano (58,2).

Trata-se do quarto aumento consecutivo desse indicador. Clique aqui para ler mais a respeito.

Indústria revela otimismo com a economia: estudo fica acima da linha divisória

Por outro lado, o ICEI permaneceu acima da linha divisória dos 50 pontos pelo segundo mês seguido. Vale lembrar que o Indicador varia de 0 a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos mostram confiança do empresário industrial e abaixo de 50 pontos apontam falta de confiança.

Mais ainda: com esses aumentos o ICEI do setor ultrapassou, primeira vez, o índice verificado em fevereiro de 2020 (62,3 pontos), período anterior aos impactos da pandemia de Covid-19 na atividade econômica. Confira o comportamento do ICEI em suas 3 últimas edições:

Não é só: conforme a Abinee, o Índice de Confiança em setembro de 2020 superou também o apontado em setembro do ano passado (56,7 pontos).

De que é composto o ICEI?

Ele integra o índice de condições atuais e o índice de expectativas.

Pois bem: no mês de setembro de 2020 foram observados aumentos nesses dois índices, com destaque para a elevação de 9 pontos no índice de condições atuais, que passou de 49 pontos para 58 pontos.

Outra boa notícia é que essa foi a primeira vez desde a chegada do Coronavírus no Brasil, em março de 2020, que o índice de condições atuais ultrapassa a linha divisória de 50 pontos, indicando que os empresários estão enxergando recuperação na atividade econômica.

Além disso, o índice de expectativas também cresceu, aumentando de 63 para 65 pontos, mostrando melhora das expectativas em relação aos próximos seis meses.

Clique aqui para ler mais sobre o ICEI de setembro.

Atividade se aproxima do patamar pré-pandemia

Assim como o ICEI empreendido pela Abinee, os Indicadores Industriais da CNI também revelam otimismo com a economia.

Em sua última edição, com dados de julho de 2020, o levantamento indica que a atividade industrial se aproxima do patamar pré-pandemia após três meses de recuperação.

Ou seja: em julho a atividade industrial seguiu em trajetória de recuperação e reverteu a maior parte da queda acumulada em março e abril. A partir de então, retorna ao patamar pré-pandemia.

Em destaque, o trabalho atesta que o faturamento real, horas trabalhadas na produção e Utilização da Capacidade Instalada (UCI) aumentaram pelo terceiro mês consecutivo. Confira os resultados dos indicadores, divulgados em 08/09/20:

Fonte: CNI

Clique aqui para acessar os indicadores da CNI em PDF

Indústria confirma otimismo em indicador da FGV

Não bastasse, o terceiro indicador que atesta o otimismo da indústria é o Índice de Confiança da Indústria (ICI), da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Em sua edição, referente a setembro, o ICI avançou nada menos do que 8,0 pontos, chegando a 106,7 pontos. Trata-se do maior nível desde janeiro de 2013.

Como comparativo, esse resultado deixa a média do terceiro trimestre (98,4 pontos) 32,7 pontos acima da média do segundo trimestre (65,7 pontos). Compare resultados do Índice da FGV:

Em relato, Renata de Mello Franco, economista da FGV-IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), faz as seguintes avaliações do Índice de setembro:

  1. A sondagem mostra o setor industrial satisfeito com o momento e moderadamente otimista em relação aos próximos três meses;
  2. A demanda estaria satisfatória, segundo os empresários, o nível de estoques está confortável e haveria expectativa de aumento de produção e do quadro de pessoal no curtíssimo prazo;
  3. Esse resultado sugere que o pior da crise já foi superado;
  4. E que o setor industrial teria fôlego para continuar a apresentar resultados positivos no próximo trimestre;
  5. Já o nível mais baixo do indicador, que mede o otimismo com a evolução do ambiente dos negócios nos seis meses seguintes, evidencia a preocupação do setor com o ambiente de negócios a partir de 2021;
  6. Essa é uma cautela possivelmente motivada pela incerteza com relação aos rumos da economia após a retirada dos programas emergenciais do governo.

Clique aqui para acessar PDF com o ICI da FGV