Usinas de cana começam a safra na região Centro-Sul

Com foco maior na produção de açúcar, a qualidade da matéria-prima ficou prejudicada pela estiagem prolongada do ano passado

Foi dada a largada para o novo ciclo produtivo das usinas de cana-de-açúcar começarem a safra na região Centro-Sul. A princípio, a região é responsável por 80% da fabricação de etanol e açúcar do País. 

Oficialmente o ciclo em questão, ou safra, começou em 1º de abril e vai até 30 de março do ano seguinte. Já nas regiões Norte e Nordeste, as usinas operam entre agosto de um ano  e fevereiro do próximo. 

Por resultado, somente no Centro-Sul são 280 unidades produtoras que, segundo a ANP, estão devidamente autorizadas. Em todo o Brasil, são 359 instalações. 

E como é tradição no setor, muitas das usinas do Centro-Sul iniciam o ciclo antes de abril. 

Isso favorece o mercado consumidor de etanol, já que, por questões técnicas, as primeiras semanas de operação são destinadas à produção do biocombustível. 

Não se trata bem de preferência produtiva, mas porque a cana do primeiro trimestre costuma ter mais biomassa devido às chuvas de verão. E mais biomassa viabiliza, por sua vez, a fabricação de etanol. 

Ademais, iniciar a produção antes ajuda o caixa das usinas, já que a venda de etanol é quitada em semanas, ao contrário da comercialização de açúcar, que demora mais para ser paga. 

Só para informação, o que é produzido até 31 de março é contabilizado como da safra anterior e não da nova. 

Mas desta vez a antecipação de safra na região Centro-Sul será menor que a dos últimos anos. 

Segundo a Unica, entidade representativa das usinas, em março do ano passado 87 unidades entraram em operação. Desta vez, no mesmo período, o número não passa de 54

Leia também: Etanol e cana têm mercado promissor na América Latina

Qual é o motivo do baixo número de usinas em operação?

Inicialmente, a explicação tem pelo menos dois motivos.

Um deles diz respeito à gestão das próprias unidades. Tudo  indica que, assim como a safra anterior, esta terá um mix produtivo mais açucareiro. Sendo assim, é melhor começar a produção em meados de abril, quando a cana tiver menos água.

Outro motivo pela baixa adesão antecipada é a qualidade da cana. Entre quatro a cinco meses de 2020 o Centro-Sul foi acometido de estiagem típica de deserto, o que afetou a cana em fase de desenvolvimento ou de crescimento, como destacou conteúdo desta plataforma de jornalismo.

Em resumo, as usinas são ‘reféns’ da qualidade da cana, porque 60% da produção de um litro de etanol ou de um quilo de açúcar vem da área agrícola. Os demais 40% vêm da área industrial. 

Leia também: Entenda por que as usinas deverão priorizar a produção de açúcar 

As usinas que já iniciaram a produção em 2021 estão bem otimistas. 

O portal Energia Que Fala com Você destaca a seguir informações compartilhadas por estas usinas em material de divulgação e em postagens em perfis em redes como Linkedin. 

Usina Batatais

Com 36 anos completados neste 2021, a Usina Batatais, localizada na cidade de mesmo nome no interior paulista, comunica que pretende chegar a 4,1 milhões de toneladas de cana na safra iniciada em 1º de março. 

O volume estimado de processamento é 30,1 mil toneladas abaixo do resultado da safra na região Centro-Sul anterior. E a culpa, conforme destacado neste texto, é da seca do ano passado que deve afetar negativamente a produtividade da cana em 2021. 

Alcoolvale apresenta vídeo

Com vídeo de apresentação, a usina Alcoolvale, localizada no município de Aparecida do Taboado, no Mato Grosso do Sul, também iniciou a produção da safra em março.

Cevasa: ‘safra da prosperidade’

Já a Cevasa, por último, usina da Cargill situada no município paulista de Patrocínio Paulista, intitulou “safra da prosperidade” o ciclo 2021 também já em franca operação desde março. 

“Estamos plenamente preparados e unidos para realizar nossos objetivos com segurança, energia e engajamento”, destaca a empresa.