Safra de cana nas regiões Norte e Nordeste começa em ritmo positivo

Previsão é de que a oferta de matéria-prima seja 4% superior à da temporada anterior.

Safra de cana nas regiões Norte e Nordeste começa em ritmo positivo
Crédito da imagem: Sindaçúcar-PE.

A safra de cana nas regiões Norte e Nordeste começa neste mês de agosto em ritmo positivo. Isso porque a oferta média de matéria-prima deverá crescer 4%, segundo a estimativa mais recente da Conab, empresa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Se o crescimento for confirmado, as usinas do Norte e Nordeste deverão processar 53,3 milhões de toneladas de cana. Em contrapartida as 51,9 milhões moídas na safra anterior.

Em tempo: no próximo dia 19 deste agosto a Conab apresenta seu novo levantamento. Além disso, outro está previsto para 23 de novembro. Clique aqui para acessar as pesquisas anteriores.

Contudo, a previsão de bons números indica que as usinas de cana do Norte e Nordeste retomam safras de bons resultados.

Apesar da previsão para o novo ciclo esteja abaixo do recorde de moagem registrado na safra 1986/1987, quando foram processadas 71 milhões de toneladas em 90 usinas.

Estão em operação 53 unidades espalhadas por três estados da região Norte (Amazonas, Pará e Tocantins) e em oito da região Nordeste (Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia).

Ao Energia Que Fala Com Você, Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar-PE, que representa as usinas de Pernambuco, relata que um ritmo de moagem de 60 milhões de toneladas representa “um patamar de equilíbrio mais apropriado aos ativos industriais instalados.” Leia aqui a entrevista com o executivo.

Safras de cana nas Regiões Norte e Nordeste em períodos distintos

Vale destacar que as projeções otimistas das regiões Norte-Nordeste vão na contramão da região Centro-Sul, responsável por 90% da produção sucroenergética do País e onde há previsão de quebra de 15% na oferta de cana.

Caso essa previsão se confirme, é bom destacar que a principal responsável é a estiagem prolongada em 2020 que afetou a qualidade da cana.

Ademais, enquanto as usinas do Centro-Sul operam safra entre abril e dezembro, as do Norte-Nordeste entram em agosto e seguem até meados de fevereiro próximo.

Voltando às previsões otimistas de moagem no Norte-Nordeste, é de se perguntar: qual o motivo da previsão para cima?

Resposta: foram registradas chuvas regulares e elas ajudam os canaviais.

Tanto que a Usina Caeté, controlada pelo Grupo Lyra e cuja planta fica em São Miguel dos Campos (AL), projeta moer bem mais que a estimativa de 4% para o Norte-Nordeste.

A princípio, em Caeté, a previsão é de moer 10% acima do processado na safra anterior. “A chuva está boa e, com isso, poderemos ter uma safra melhor”, disse Luiz Magno Brigo, diretor de Operações da usina, em boletim do Sindaçúcar-Alagoas (clique aqui).

Em Alagoas, por exemplo, as 15 usinas em operação deverão processar 17,043 milhões de toneladas de cana, segundo a Conab. A primeira a entrar em safra, na segunda quinzena deste mês, é a Usina Pindorama, gerida por cooperativa de mesmo nome.

Já Pernambuco, conforme a Conab, deverá ter à disposição 11,970 milhões de toneladas de cana na safra que tem início, em alta de 1,7% ante o ciclo anterior.

As previsões da Conab para o Norte-Nordeste

Os dados se referem as estimativas no período de maio de 2021.

Fonte: CONAB

Mais com menos área

Por fim, mais um dado da Conab para reforçar o otimismo nas usinas do Nordeste:

Mesmo com a área canavieira reduzida em 0,5%, a estimativa é de que a produtividade média deverá crescer 3,2% ante a safra anterior.

Sem dúvida, crescer produtividade em área menor é uma tendência que atesta o compromisso já empenhado por lideranças do setor sucroenergético. Nesse caso, trata-se de avançar em produção sem ampliar áreas plantadas.