NG Metalúrgica está pronta acompanhar o setor na crescente demanda mundial de etanol
Peneiras Moleculares da NG: equipamentos aplicados no processo de desidratação de etanol. Foto: Divulgação

Consolidado no Brasil, o etanol avança como biocombustível no exterior. Um exemplo é a gigante Índia, com 1 bilhão de habitantes, onde a mistura de etanol à gasolina sairá de atuais 10% para 20% em 2023. 

Outro exemplo é a China, cujo programa de adição de biocombustível ainda está sem data para entrar em vigor, mas é questão de tempo. Isso porque o etanol permite reduzir as emissões de gases geradores de efeito estufa (GEEs) e também diminui drasticamente a necessidade de importar gasolina (leia mais a respeito aqui).

É aí que entra o Brasil e o know-how adquirido em quase 50 anos desde que o Proálcool foi implantado na década de 70. De lá para cá, o setor gerou mais de 400 unidades produtoras e toda uma cadeia estruturada de fornecedores de bens e serviços. 

E agora muitos deles estão prontos para levar o know-how brasileiro para países focados em produzir etanol em seus territórios. É o caso da NG Metalúrgica. 

Criada em 1996 em Piracicaba (SP), a NG participa do setor sucroenergético há 26 anos e, assim, acompanha de perto a evolução das usinas de cana e de milho. Clique aqui para conhecer o site da empresa.

E como a NG se prepara para atender o setor no avanço do etanol no exterior? Para saber mais a respeito, entrevistamos Fausto Schmidt, Gerente de Vendas da NG. 

Confira: 

Qual é a carteira de clientes da NG no setor? 

Fausto Schmidt – Hoje a carteira de clientes da NG no setor sucroenergético e de etanol de milho conta com mais de 200 clientes atendidos anualmente. 

Dentre eles estão os principais players do setor como Raízen, INPASA, COFCO, além dos mais tradicionais grupos privados de usinas de açúcar, etanol e energia. 

A NG é a empresa líder no fornecimento de equipamentos destinados à produção de etanol de milho.

Quais os principais impactos positivos das soluções da NG para as clientes?

Fausto Schmidt – Por meio de sua equipe de profissionais extremamente qualificados em todas as áreas de atuação, a NG oferece as mais diversas e atualizadas soluções aos seus clientes. Vai de contratos de manutenções preventivas, preditivas e corretivas, fornecimento de peças de reposição com estoque estratégico dos itens críticos a estudos de cogeração. 

Oferecemos também atualizações de instalações existentes, plantas completas de produção de etanol, empacotamento de skids de compressão de gases, entre outras, que agregam valor e trazem segurança, qualidade e confiabilidade aos clientes atendidos.

No caso do etanol, que ganha presença mundial também por conta de seus ganhos ambientais de redução de emissões de gases de efeito estufa, quais são as soluções mais aplicadas pelas usinas?

Fausto Schmidt – Atualmente, nossos clientes procuram os processos mais modernos e de maior eficiência e desempenho, como as destilarias à vácuo, onde o consumo de vapor é significativamente reduzido, resultando numa maior disponibilidade de vapor para a geração de energia. 

Há também o processo de desidratação do etanol hidratado através de Peneiras Moleculares que, além de evitar traços de contaminantes no etanol anidro residual, também tem menor consumo de vapor quando comparado aos demais processos, possibilitando maior produção de energia elétrica através de nossas turbinas a vapor.

E no caso do açúcar?

Fausto Schmidt – Para a produção de açúcar a NG oferece soluções através de evaporadores de películas, tipo “falling film” e cozedores de vácuo contínuo (CVP).

Ainda no caso do etanol, há apostas de que ele crescerá em produção em outros países para atender à futura demanda como aditivo à gasolina (caso da Índia) ou como matéria-prima de células a hidrogênio (para veículos híbridos). A NG pretende participar desse crescimento? Como?

Fausto Schmidt – A NG acompanha e monitora constantemente as tendências e demandas do setor e está preparada e com soluções tecnológicas de última geração para atender o crescimento desses mercados através do fornecimento de produtos cada vez mais eficientes e projetados exclusivamente para cada projeto.

A empresa já possui clientes no exterior?

Fausto Schmidt – A NG Metalúrgica conta com mais de 300 clientes em mais de 50 países de todos os continentes, com potência total instalada de mais de 8.000 MW através de suas turbinas a vapor de alta eficiência e com mais de 100 plantas de produção de etanol hidratado e anidro. 

Isso além do fornecimento de vasos de pressão, skids de compressão, equipamentos para exploração submarina de petróleo, painéis de controle e proteção para diversos segmentos da indústria, além de serviços especializados de instalação e manutenção de sua linha de produtos.

Apesar de boa parte das usinas investirem em bens de capital, muitas, por motivos diversos, seguem com ociosidade acima de 20% e precisam, assim, fazer aportes na indústria. É possível reduzir essa ociosidade com investimentos compatíveis? 

Fausto Schmidt – Sim, pois podemos oferecer soluções de atualizações de equipamentos existentes, para que passem a operar com maior produção e eficiência, com baixo investimento, quando comparado a um equipamento novo, e que aumentará a receita líquida desses clientes.