Tendências do setor de manufatura unem o digital ao produto físico

A manufatura vive, ao mesmo tempo, um período de crise e oportunidades. Por um lado, a revolução digital se consolidou e a Indústria 4.0 começa a tornar-se realidade; por outro, a demora de muitas empresas do setor em aceitar e correr atrás da nova realidade cobra seu preço. A pandemia da Covid-19 demonstrou as vulnerabilidades do segmento, mas graças aos avanços que já tivemos em tecnologia e gestão, a área tem segurado as pontas. 

Nesse contexto, a consultoria Gartner divulgou seu relatório com as cinco principais tendências do setor de manufatura e o digital é o fio que une todas elas. Michelle Duerst, VP de pesquisa da Gartner, afirma que “a primeira resposta à pandemia para muitos manufatureiros foi tornar sua operação digital o mais rápido possível”. Ela alerta que o digital é o caminho correto, mas sozinho não é suficiente. É preciso oferecer experiências que unam o digital ao mundo “real”. São estas as cinco tendências identificadas: 

Experiência Digital + Produto 

Combinação de produtos físicos com serviços digitais para criar ofertas unificadas a consumidores B2B e B2C pode ser uma boa estratégia para conquistar o consumidor com menos oportunidades de contato, devido às restrições da pandemia. É uma ótima maneira de manter o contato no pós-venda.  

Experiência Total 

A tecnologia e a interação podem encorajar tanto consumidores quanto colaboradores a aumentar seu valor. Com essa abordagem, é possível encontrar a plataforma certa para conectar clientes, parceiros e funcionários. As marcas podem, por exemplo, colocar colaboradores para serem especialistas da marca, interagindo com consumidores.  

Parcerias com Ecossistemas 

Ao desenvolver parcerias pensando em ecossistemas, empresas podem ter uma oportunidade ímpar de crescimento em mercados em desenvolvimento. Na manufatura, essas parcerias podem permitir várias formas de iniciativas, como embalagens mais sustentáveis e redução de emissões de gases que causam as mudanças climáticas. 

Monetização de Dados 

Com a rápida digitalização de empresas de manufatura gerando grande quantidade de dados valiosos, os CIOs podem obter uma nova fonte de receita, usando a informação como recurso. Com uma boa análise desses dados, as empresas podem tomar melhores decisões sobre o rumo dos negócios.  

Equipamento como Serviço (EaaS) 

O modelo de “everything as a service” já avançou para outros produtos, e na manufatura já é uma realidade contratar equipamentos por assinatura. Com a tecnologia Internet das Coisas embutida nos ativos é possível garantir sua eficácia pagando apenas encargos operacionais recorrentes, sem ser necessário comprá-los. 

Essas tendências dependem de recursos e tecnologias já disponíveis para quem quiser utilizá-los. Vale analisar com atenção e ver quais fazem mais sentido para cada estratégia de negócios. 

Para conhecer as soluções TOTVS para manufatura, acesse: https://www.totvs.com/manufatura/  
*Por Angela Gheller, diretora de Manufatura da TOTVS